Blog Papo de Buteco: Fique por dentro!

Curiosidades sobre o Queijo Minas

O queijo minas é o ingrediente obrigatório em todas as cidades participantes do Comida di Buteco em Minas Gerais. Mas você sabe como é produzido e qual é a capacidade produtiva do queijo minas em Minas Gerias? Preparamos este post para mostrar um pouco mais deste rico pedaço da cultura mineira para vocês. 

Um bom queijo minas artesanal é feito do leite ordenhado logo pela manhã. Após adicionar o pingo e o coalho, espera-se em torno de 45 minutos para poder cortá-lo, coar e separar o soro da massa.  O queijo então é espremido, enformado e salgado, na maioria das vezes com sal grosso, para que no final da tarde o soro possa ser aproveitado em outras receitas como, por exemplo, para fazer ricota. Ao retirar o sal grosso, vira-se o queijo e se usa o mesmo sal no outro lado, deixando escorrer a noite inteira. No dia seguinte, retira-se novamente o sal, faz-se a limpeza do queijo e o coloca para maturar. A maturação depende da época do ano, mas acontece geralmente em um período de 10 a 30 dias, no mínimo.

O líquido mais grosso que escorre do queijo, de uma coloração dourado-esverdeado, é o que chama-se de “pingo“: nada mais do que um tipo de fermento do queijo. Ele é usado no dia seguinte pra produção de novos queijos, iniciando novamente todo o processo descrito acima.

O queijo do Serro foi reconhecido em 2002, pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (IEPHA), como “Patrimônio Imaterial” e desde 2008 ganhou reconhecido nacional, pelo Instituto Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN) que o classificou como “Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro”.

O Brasil é o 6º maior produtor mundial de queijo e a indústria queijeira mineira coloca 215 mil toneladas de produtos por ano no mercado (mas não apenas o Queijo Minas). Metade de todo o queijo que o brasileiro consome – 3,4 kg per capita/ano – vem de Minas Gerais. Esse consumo per capita, ainda é pequeno se comparado aos USA (15 kg), à União Européia (13,1 kg) e Argentina (11,8 kg).

O diretor Helvécio Ratton - Foto por Universo Produção

Apesar de toda essa relevância, o queijo minas artesanal é proibido de circular fora do estado de Minas Gerais. Por causa disso, no ano passado, o diretor Helvécio Ratton produziu um documentário, chamado “O Mineiro e o Queijo“. O filme conta como a técnica de produção artesanal de queijo chegou a Minas Gerais no século XVIII, trazida pelos portugueses em busca de ouro. Além disso, faz um retrato das quase 30 mil famílias mineiras que hoje vivem da produção do queijo artesanal em todo o estado. Confira abaixo uma “fatia” do vídeo, disponível no YouTube.